terça-feira, 3 de janeiro de 2012

hoje me peguei escrevendo em blogs.

talvez porque eu queria falar algumas coisas e não tenha a quem, porque não sei quem queira ouvir.

já aviso que não se preocupem, que isso não é um poema, no máximo uma coleção de frases soltas.

silenciar nunca é nada além do medo de não ser ouvido, ou de ser ouvido demais. mas minha emoção, ao menos agora, me coloca no primeiro caso.

o barulho é tão alto... a televisão, as risadas de vilão do cinema, tudo isso Fode as palavras certas de quem decide manter silêncio, mas deveria falar, mas não pode ou não consegue.

quem acredita que manter o silêncio é uma questão de escolha se engana.

tudo é uma questão de escolha pra quem faz, mas eles não sabem o que é viver na embalagem a vácuo onde os sons não ecoam... no país onde seu idioma não se compreende...
ou, o pior de tudo, na aldeia onde eles não importam...

claro, claro, não quero ser preconceituoso - apenas ouvido.

daí os gritos.

daí as maiúsculas e o barulho

e o Foda-se

e o silêncio.

Nenhum comentário: