quarta-feira, 2 de novembro de 2011

o último post

Hoje em dia, eu diria, se me perguntassem, que eu sabia porque fazer um blog.

Claro que eu também responderia sem que ninguém me perguntasse (cof, cof), e também, que eu sei porque Eu escreveria num blog, não porque os outros escreveriam em blogs.

Há uma série de coisas.

Um é o óbvio, expressar opiniões sobre coisas sobre as quais eu não sei muito bem com quem falar. Ás vezes há um assunto interessante, e você quer conversar a respeito, mas acha que não vai interessar a ninguém. Então você não fala. Você pode falar dele no blog, e quem se interessar, lê.

O segundo, razão do nome do meu blog ser (Unrevised), é o seguinte: eu não preciso postar coisas perfeitinhas aqui. posso escrever de qualquer jeito. Não é como escrever um conto, no qual uma letra maiúscula no lugar errado pode bagunçar toda uma harmonia, e cada detalhe precisa ser considerado. hoje em dia não consigo levar menos que semanas pra escrever um conto, e em geral largo ele incompleto e fico infeliz com o resultado. aqui, eu posso escrever de qualquer jeito - ou quase - e ainda assim matar a vontade de escrever um pouco em momentos nos quais eu não estou disposto a contos. aqui posso ser como Aretino (né, Nicollas?) e escrever só com pena, papel e espírito, sem erudições ou pensamento exagerado (claro que isso é ironia²).

Além disso, às vezes é bom compartilhar desabafos de vários tipos com desconhecidos, conhecidos, e meio-conhecidos - além, é claro, de amigos. não falo familiares porque estes vão, na maioria, se enquadrar nas três categorias anteriores.

hoje, pra exemplificar o desabafo, eu tava vendo umas pessoas no facebook que se acham uma coisa tão incrível que chega a ser um pouco patético... não sei. nada particularmente a favor da humildade. digamos, Nietzsche se via como um filósofo que quebraria a visão que havia sobre seus precursores, ou seja se achava o máximo, e era completamente contra a humildade, que seria só uma desculpa do superior por ser melhor que os outros; mas ele era o Nietzsche. nada contra caras fodas que se acham caras fodas, embora eu admita que é meio desagradável (afinal, quando alguém se diz superior, está dizendo que nós somos inferiores a ele - e não é isso que todos odiamos no orgulho alheio?). mas caras quaisquer que ainda se acham caras fodas...

terminando este, que pode muito bem ser o último post da história desse blog, além de ser o mais abertamente contraditório, ainda por cima cito a bíblia: "Vaidade das vaidades".... "Tudo é vaidade."

as reticências são minha cortesia...