quarta-feira, 1 de julho de 2009

Ninguém

- Cara, você não acredita.
- O que foi?
- Ela terminou comigo.
- Terminou?
- Sim.
- Ah.
- Obrigado pela solidariedade.
- Ha. Olha, eu não devo solidariedade alguma, tá bom? Você nunca foi solidário comigo.
- Você já precisou?
- É lógico.
- Não percebi.
- Eu sei.
(silêncio, por alguns segundos)
- Aconteceu alguma coisa?
- Não.
- Então o quê...
- Esse é o problema.
- O quê?
- Nada acontece. Eu estou sozinho.
- Como assim?
- Em todos os sentidos.
(o amigo parecia desconcertado agora. tinha praticamente esquecido a história que pretendia contar)
- Fala comigo, cara.
(o primeiro suspirou)
- Sabe como a maioria das pessoas que você conhece já sofreu, ou desejou ardentemente alguém?
- Sim, o que tem?
- A maioria já namorou, e já se apaixonou?
- Sei, sei, e daí?
- Eu não.
- Você não?
- Não. Nunca me interessei por ninguém. Nunca me apaixonei... e você não tem idéia de como isso é triste.
- Mas se é assim... você nunca sofreu por alguém.
- Ha! Bem falado. Sofri por não ter ninguém. Por ver todos ao meu redor apaixonados... por ver que simplesmente não há ninguém no mundo que me entenda... que possa ser minha outra metade.
(um pouco mais de silêncio. o amigo olhava, um pouco assustado para o que era uma faceta inteiramente nova de uma pessoa que ele conhecia a tanto tempo)
- Mas não se preocupe cara.
(colocou o braço em volta do amigo)
- Ela está aí em algum lugar.

O primeiro sorriu. era um sorriso meio triste, mas era alguma coisa.

Mais tarde, chegaram alguns amigos. Mas ele ainda estava sozinho.

5 comentários:

Carolls disse...

adorei seus dialogos primim...love u e saudades

Bruno disse...

brigadão carolls =)

muitas saudades...

beijoss, priminha!

Hugo Costa disse...

ahuahhaahu
cético!

Kaline Rossi disse...

A dor do gostar e do nunca ter gostado é equivalente. É que nem não gostar de araçá-boi sem nunca ter nunca provado.

Hugo Costa disse...

araçá-boi tbm conhecido como Uvaiá...bom demais...