domingo, 17 de agosto de 2008

Alienação:

"perturbação mental, na qual se registra uma anulação da personalidade individual."

Tudo bem, a palavra tem um bando de definições. Mas essa é aquela em que nos focaremos agora.

Tudo bem que o termo "perturbação mental", usado pelo cara que escreveu a definição na wikipédia, foi um pouco exagerado, mas o resto está em ordem. Se registra uma anulação da personalidade individual.

Ou seja: o alienado deixa de ser um cara, e passa a ser um povo. Ele não tem vontades individuais, ele têm a vontade que todo mundo têm. Ele compra da marca que todo mundo compra, escuta a música que todo mundo ouve, e gosta do que todo mundo gosta. É uma ovelha, em outras palavras.

Isso faz com que eu me pergunte: a ovelha negra realmente é ruim? É a ovelha que mais pensa no meio do grupo. As ovelhas normais reagem todas do mesmo jeito, às mesmas coisas, o que indica falta de criatividade e individualidade. Já as ovelhas negras pensam. É preciso ser um pouco diferente para se destacar do grupo. E ao contrário do que os racistas pensam, a ovelha negra não se destaca do grupo pela cor. Se ela fosse vermelha, e agisse do mesmo modo como o resto do grupo, ela seria só uma outra ovelha. Talvez as outras ovelhas estranhassem, mas isso não é hora pra esse assunto. O fato é que para que a ovelha se destaque do grupo, ela precisa pensar diferente. Talvez eu tenha levado a boa e velha metáfora das ovelhas longe demais, mas isso não vêm ao caso. Todos estão entendendo, não é?

Bem, mas acontece o seguinte: as ovelhas, por mais parecidas que sejam, não são iguais. Cada uma é uma ovelha diferente, com desejos diferentes, apesar de todas as semelhanças que a alienação faz que existam nas ovelhas.

Sim, cada ovelha têm suas idiossincrasias, suas peculiaridades, mas há um fator em comum que talvez não seja culpa da alienação, mas inerente ao ser humano. As pessoas querem ser diferentes.

Quantas vezes você já viu alguém perfeitamente normal, que se acha completamente diferente da média? Alguém que se acha completamente original, mas vai no McDonalds tomar uma coca todo dia, com seu tênis da nike? Bem, é claro que cada um têm suas diferenças, como eu já escrevi duas vezes ali em cima, mas alguns são menos alienados que outros.

O engraçado é que, quando a pessoa é mais pobre, burra, ou qualquer outro fator que denucie que ela é diferente para o lado desagradável, ela tende a querer se igualar. Nietzsche acreditava que um dos maiores motivos que a religião atraía pessoas era porquê elas gostavam de entrar em um ambiente aonde todos eram considerados iguais. Elas não eram piores do que os outros ali, embora o fossem fora dali. Pode ser que alguém mais esperto tomasse o emprego daquela ovelha, mas ali dentro, os dois valiam o mesmo. Acreditar que todos são iguais é reconfortante. Falso, mas gostoso.

Em outras palavras: pessoas gostam de se achar melhores. Se achar pior que os outros é péssimo. O ego de ninguém cresce assim, e as pessoas tendem mais a ficar deprimidas com a "injustiça” do mundo que a fazer qualquer coisa a respeito, pois a sensação de inferioridade muitas vezes vêm acompanhada da sensação de impotência. Seres humanos gostam de negar o fato de que alguns são melhores que os outros, pois podem ser acusados do terrível crime de não possuir modéstia, que, citando mais uma vez Nietzsche, é o pedido de desculpas do humilde por ser melhor que o outro.

Independente de quem ler esse texto, provavelmente há alguém que conheça que, na sua opinião, é mais inteligente que você, e você não gosta de admitir isso, nem para você mesmo. Do mesmo modo, provavelmente você conhece alguém mais burro que você, mas embora isso não seja algo que te entristeça, você dificilmente diria isso para esta pessoa. Não por ela, mas porquê os outros veriam você como alguém que se acha melhor que os outros, independente de você ter razão ou não. As pessoas se sentem intimidadas por qualquer um melhor que elas, e não gostam que qualquer um diga “eu sou melhor que você”, ainda que seja verdade. É claro que há alguns diferentes quanto à isso, o que é bom, mas esse é o padrão.

Isso provavelmente é algo da espécie. No fundo, todo ser humano sabe que tem mais chances de procriar ( leia-se: transar )se for o melhor da turma. O mesmo vale para todos as outras coisas que as pessoas fazem, embora alguns acreditem que no fundo, o motivo que leva o ser humano a tudo é o sexo, mas isso não vêm ao caso também, ao menos não agora.

Eu, pessoalmente, acredito que as ovelhas brancas não sejam exatamente estúpidas. Afinal, ovelhas brancas têm algumas filhas de lã negra, e vice-versa. Os genes têm que vir de algum lugar, e é bem provável que a alienação (ou falta dela) seja algo que surge durante a vida. Com a criação, gosto pelas coisas certas e etc. Não acredito que o cérebro de alguém venha muito mais preparado que o de outra pessoa (acredito que possa acontecer, mas que não seja freqüente o suficiente para ser causa de um comportamento tão comum). O que faz a diferença são algumas escolhas. Todos sabem que ser diferente dá trabalho. Alguns estão dispostos, outros não, outros sequer pensam no assunto.

Não sei exatamente aonde queria chegar com este texto, mas acho que estou ao menos perto de lá, e posso confortavelmente parar por aqui. Afinal, não deve ser tão surpreendente um final um pouco diferente para um texto como esse.

bonsai

Um comentário:

Marcus Vinícius disse...

Eu também já pensei exaustivamente sobre esse assunto, e por várias vezes tentei transmitir para um texto.

O problema é que eu nunca consegui tão bem como tu.

Meu parabéns!

Abraço!